maio 09, 2014

** AntíTese **



...tinha certeza de quem eu era, 
ao menos eu achava q tinha. .. agora entendo que quase nada é tudo. .. e o que me guia é a sintonia! !

Há duas semanas atrás 
carregava um peso de uma bagagem desconhecida
oriunda de céu cinza, 
arranha céu e muita buzina. .. 
de gente cheia de compromisso 
e vazia de sentimento. .. 
de desconhecer o sentido das horas 
e da obra prima que faz o vento, 
ao pintar e soprar as nuvens. .. de um colorido alaranjado e azul.
carreguei também por anos, 
conceitos infundados. .. 
ditadura global e cômoda, 
aceita por 90% da sociedade. ...
e foi preciso fechar os olhos da face 
para abrir o da alma. .. 
e o discurso feito pelo mar, 
debaixo de um céu com incontáveis estrelas, 
me fez desmistificar minha própria tese.
somos o dia de hoje, 
o segundo seguinte 
e nada além disso. 
Aprendi a guardar sorrisos e olhares 
com o mesmo zelo que guardo meus pertences. .. 
só que com muito mais afeto. 
Descobri que somos um ponto 
de uma reta infinita, 
que cada pessoa guarda uma história bonita 
e que ser nossa própria companhia 
nos traz o melhor de nós, 
atraindo pessoas afins, 
pessoas de bem 
pessoas de luz.
Aprendi que a palavra gratidão 
não pode ser definida. .. 
ela precisa ser sentida...
e é umas das melhores sensações.
entendi que escolhas 
estão relacionadas ao estado de espírito,
e ao nosso interior, 
algumas nos parecem absurdas, 
até entendermos o seu teor. 
não tenho certeza de muitas coisas, 
mas não serei a mesma que um dia fui. .. 
absorvi minha essência. .. 
minha energia. .. 
minha luz.

tinha certeza de quem eu era, ao menos eu achava q tinha. .. agora entendo que quase nada é tudo. .. e o que me guia é a sintonia! !

4 comentários:

  1. Sara, minha querida!
    No mesmo instante que temos certeza de tudo somos invadidos por incertezas e nadas... Realmente concordo quando diz que a gratidão tem que ser sentida e praticada todos os dias, caso contrário ela é apenas um verbo sem ação ou valor...

    Quanto a mim, pode ter certeza, sou absolutamente cheia de sentimentos e tenho abraçado poucos compromissos, ou seja, faço somente aquilo que deseja essa minha alma indomável e livre, apesar das responsabilidades serem tantas. Enorme beijinho e grata pelo seu carinho e sua atenção. Amo este seu espaço e suas escritas profundamente reflexivas... existenciais...

    ResponderExcluir
  2. Primeiramente, obrigada pela visita. Adorei o comentário! :)
    Em relação ao texto, lindo! Acho que a gente é uma constante mudança. E, dependendo do ponto de vista, nem sempre isso é ruim. Na maioria das vezes é bom. ;)
    Beijos,
    Carol
    www.pequenajornalista.com.br

    ResponderExcluir
  3. "...e foi preciso fechar os olhos da face
    para abrir o da alma... " - Eu só sei quem sou quando entro em contato com a Poesia. - Parabéns linda!!! Muito bom.

    ResponderExcluir
  4. Voltei a blogar e aguardo visita dos amigos queridos.
    Um abraço!

    http://momentosbrancoepreto.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir